Os vírus são mais importantes do que você imagina – virus are more important than you think

Não é novidade que a causa mais abundante de morte no planeta é causada por vírus. De

Vírus infectando uma célula.

uma forma superficial, é intuitivo pensar que os vírus são os vilões da história biológica do planeta. Porém, ao compreender as interações ecológicas e evolutivas entre vírus e seus hospedeiros, vemos que sua função é de suma importância na regulação de seres vivos do nosso querido Planeta Terra.

Primeiramente, vamos falar sobre um efeito bem conhecido entre os microbiologistas, chamado de “Red Queen” (Van Valen, 1973), em que o vírus e seu hospedeiro mostram adaptação evolutiva contínua, mantendo os dois adaptáveis um ao outro. Isso quer dizer que, quando o hospedeiro cria uma imunidade contra o vírus, logicamente o vírus precisa criar outra forma de conquistar seu hospedeiro. Logo, isso faz com que os dois, a todo instante, sofra processos evolutivos, mantendo ampla constância na aptidão relativa.

Bom, aí você pensa: se não existisse vírus, os hospedeiros não precisariam de adaptações, certo? Errado. Há outro fenômeno chamado “kill the winner” que consiste em regular as populações de predadores e presas. Isso ocorre porque, ao ter um índice muito grande de predadores (por ter um ambiente mais adaptável), eles ficam mais suscetíveis a serem infectados. Isso acarreta na morte de muitos predadores e, assim, a biota é regulada novamente.  O nome “kill the winner” (mate o vencedor) se dá justamente por isso: o ser que estiver mais adaptado ao ambiente começa a se proliferar mais, fica mais “visível” ao vírus e, assim, o vírus mata, diminuindo sua população.

Resumindo: os vírus são exímios controladores populações; impedem que uma devida espécie superpopule alguma biota e que acabe por completo com suas presas. Assim, predadores sempre terão sua comida, uma vez que uma superpopulação acabaria por completo com suas presas.

Referências:

Fuhrman, J.A. (1999) Marine viruses and their biogeochemical and ecological effects

Suttle, C.A. (2005) Viruses in the sea

Van Valen, L. (1973) A new evolutionary law

Anúncios

Debate Físico

De onde vem a Ciência?

10685554_10207047453598471_4743728828907943329_nCompartilho aqui, diretamente de uma linda manhã de domingo cearense no palácio da chinfra, dois links que mostram o quão necessário é o debate subjetivo e humano pra levar adiante as revoluções de todo tipo na vida. A física, que estuda a origem e o fundamento do tudo que conhecemos, se construiu no século XX de forma impor limites para sua própria evolução. A mecânica quântica, tão badalada e esoterizada e até mesmo comprovada, simplesmente não faz sentido quando colocada lado a lado as outras leis da física. Paul Ehrenfest, que contribuiu muito nas analogias entre a física clássica e quântica na tentativa de entender alguma coisa, se suicidou também pela angustia que sentia ao não conseguir acompanhar os debates de Bohr.

Os debates de Bohr, fortemente influenciados pelo pensamento liberal, deram origem a essa onda da física que não precisa de comprovação. A incerteza de Heisenberg paira até hoje…

Ver o post original 354 mais palavras

Impacto da vida microbiana nos seres humanos

Micro-organismos são seres vivos invisíveis ao olho nu, mas com uma funcionalidade muito complexa e diversa do que a maioria pensa. Eles são vitais para o meio ambiente e consequentemente para a vida humana, importantes no preparo de alimento (fermentação, por exemplo), decomposição de organismos, tratamento de água, ciclo do carbono, liberação de O2 para a respiração de organismos heterótrofos e também atuam em simbiose em organismos multicelulares.

Além dos benefícios, os micro-organismos podem influenciar negativamente a vida humana, tais seres são denominados de patógenos. Muitas doenças infecciosas  microbianas podem ser citadas, como tuberculose, cólera, sarampo, AIDS,
pneumonia, entre outros.  Os estudos dessas doenças acarretou no controle de proliferação, adotando medidas práticas sanitárias,  saúde pública e agentes antimicrobianos

Podemos considerar a ameaça representativa dos micro-organismos poderosa, porém a maioria não é prejudicial, e sim essencial ao ser humano, ao meio ambiente e ao funcionamento do planeta.

Os micro-organismos desempenham um papel importante na indústria alimentícia, vários laticínios dependem da ação microbiana, incluindo a fermentação de queijos, manteiga e iogurte, produzindo derivados de leite. Além disso há produtos dependentes da fermentação de leveduras, como por exemplo produtos de panificação.

Mas também é um fator limitante muito estudado na indústria alimentícia, a decomposição. Ela resulta em enormes perdas de alimentos se exposto por um tempo a ação microbiana, e por consequência a perda do alimento. Então medidas foram tomadas para que houvesse menos perdas. Podemos citar, alimentos enlatados, alimentos desidratados e congelados.

Podemos destacar que a produção de energia, o gás natural (metano). Os organismo fototróficos podem absorver energia, produzindo biomassa. A biomassa microbiana pode ser convertida em biocombustível como etanol ou metanol

Os micro-organismos podem ser utilizados também  para degradar poluentes gerados por humanos, tal processo é denominado de biorremediação. Com o tempo, pode degradar o poluente naturalmente, e então voltando ao seu estado normativo (sem poluentes). Atualmente cientistas estão estudando novas medidas para combater novos tipos de poluição do ser humano por biorremediação.

Os micro-organismos tem infinidades de funções além dessas citadas, tanto maléficas quanto benéficas para o ser humano, mas de tal amplitude que é considerado impossível estudar todas as espécies, porque micro-organismos possui uma variabilidade genética altíssima, e a cada momento se diferenciam mais. Então sempre sobrará temas de sobras, e que sempre haja cada vez mais estudos para a melhora da vida humana e do meio ambiente.

Referências:

Microbiologia de Brock 12° edição