Supernova

O que causa uma Supernova?

Uma supernova acontece quando há uma mudança no núcleo, ou centro, de uma estrela. Uma alteração pode ocorrer de duas maneiras diferentes, com ambos resultando em uma supernova.

difference-between-nova-supernova_23ff70f2433c7763O primeiro tipo de supernova acontece em sistemas binários de estrelas. Estrelas binárias são duas estrelas que orbitam o mesmo ponto. Uma das estrelas, uma anã branca de carbono-oxigênio , rouba a matéria de sua estrela companheira. Eventualmente, a anã branca acumula muita matéria. Ter muita matéria faz com que a estrela exploda, resultando em uma supernova.

O segundo tipo de supernova ocorre no final da vida de uma única estrela. À medida que a estrela se esgota de combustível nuclear, parte de sua massa flui para dentro de seu núcleo. Eventualmente, o núcleo é tão pesado que não pode suportar sua própria força gravitacional. O núcleo desmorona, o que resulta na explosão gigante de uma supernova. O sol é uma única estrela, mas não tem massa suficiente para se tornar uma supernova.

Por que os cientistas estudam supernovas?

crab_nebulaUma supernova queima por apenas um curto período de tempo, mas pode dizer aos cientistas muito sobre o universo.

Um tipo de supernova mostrou aos cientistas que vivemos em um universo em expansão, que está crescendo a um ritmo cada vez maior.

Os cientistas também determinaram que as supernovas desempenham um papel fundamental na distribuição de elementos em todo o universo. Quando a estrela explode, atira elementos e detritos para o espaço. Muitos dos elementos que encontramos aqui na Terra são feitos no núcleo das estrelas. Estes elementos viajam para formar novas estrelas e planetas.

Como os cientistas procuram Supernovas?

Cientistas usam diferentes tipos de telescópios para procurar e estudar supernovas. Alguns telescópios são usados para observar a luz visível da explosão. Outros registram dados dos raios-X e raios gama que também são produzidos. Tanto o telescópio espacial Hubble da NASA como o observatório Chandra X-ray capturaram imagens de supernovas.

Em junho de 2012, a NASA lançou o primeiro telescópio em órbita que focaliza a luz na região de alta energia do espectro eletromagnético. A missão NuSTAR tem um número de trabalhos a fazer. Ele vai procurar estrelas colapsadas e buracos negros. Também procurará pelos restos de supernovas. Os cientistas esperam aprender mais sobre como as estrelas explodem e os elementos que são criados por supernovas.

Supernovas

Print

Algumas supernovas

Um mundo onde todos possuem um robô está perto – A world where everyone has a robot is close

Podemos pesquisar milhares de imagens e vídeos na web a partir de telefones celulares. Eles tornaram-se onipresentes na vida de muita gente, ajudando a coletar informações em poucos toques. Milhões de sensores inteligentes conectados para monitorar em tempo real tudo a sua volta. Mas a tecnologia inova de um modo exponencial, e do mesmo jeito que, de repente, bilhões de pessoas aderiram o celular em seu dia-a-dia, provavelmente irão aderir aos robôs.

Depois de décadas de desenvolvimento, aplicações de inteligência artificial estão vindo atona, com a chegada de carro de auto-condução, realidade virtual, entre outros. Ajudando o ser humano cada vez mais, até precisarmos fazer praticamente nada para sobreviver.

O progresso de AI e robótica é susceptível a acelerar rapidamente para empresas tecnológicas de grande porte, como Google, Apple, Facebook. E que em um futuro eminente despejem bilhões de dólares para esse campo. Muitos pesquisadores dizem que é importante se preparar para este novo mundo. “Precisamos nos tornar muito mais responsável em termos de concepção e operação destes robôs como eles se tornam mais poderosos”, diz  Fei-Fei Li, chefe do Laboratório de Inteligência Artificial de Stanford, na Califórnia.

Em janeiro de 2015, um grupo que inclui Elon Musk, Bill Gates e Stephen Hawking escreveu uma carta aberta pedindo uma extensa pesquisa para maximizar os benefícios da AI e evitar suas armadilhas potenciais. A carta já foi assinado por mais de 8.000 pessoas.

Avanços exponenciais em tecnologias que permitam ter atingido um ponto em que eles poderiam provocar mudanças disruptivas nos setores de inteligência artificial de robótica para medicina. Como resultado, muitos especialistas argumentam que o mundo de amanhã será irreconhecível.

O crescimento do desempenho de supercomputação é um indicador de avanços vertiginosos em toda computação. Supercomputadores, em 2020 tendem a ser 30 vezes mais poderoso do que os de hoje. Enquanto isso velocidades de banda larga e Wi-Fi estão aumentando, e o tráfego de dados da Internet irá ultrapassar um zetabyte este ano, e duas vezes em 2019.

Todos esses fatores estão agora convergindo para empurrar tecnologias aparentemente futurista para fora do laboratório, e colocá-las no mesmo caminho percorrido pela computação pessoal e eletrônicos de consumo.

Referências:

A world where everyone has a robot, by Declan Butler. Disponível em http://www.nature.com/news/a-world-where-everyone-has-a-robot-why-2040-could-blow-your-mind-1.19431

Gravitional waves

“A century after being proposed by physicist Albert Einstein, scientists have made the first detection of gravitational waves – massive celestial objects on the move causing spacetime itself to ripple – a historic discovery that opens up an entirely new way of studying the cosmos.”