Why do whales sing?

Anúncios

Os vírus são mais importantes do que você imagina – virus are more important than you think

Não é novidade que a causa mais abundante de morte no planeta é causada por vírus. De

Vírus infectando uma célula.

uma forma superficial, é intuitivo pensar que os vírus são os vilões da história biológica do planeta. Porém, ao compreender as interações ecológicas e evolutivas entre vírus e seus hospedeiros, vemos que sua função é de suma importância na regulação de seres vivos do nosso querido Planeta Terra.

Primeiramente, vamos falar sobre um efeito bem conhecido entre os microbiologistas, chamado de “Red Queen” (Van Valen, 1973), em que o vírus e seu hospedeiro mostram adaptação evolutiva contínua, mantendo os dois adaptáveis um ao outro. Isso quer dizer que, quando o hospedeiro cria uma imunidade contra o vírus, logicamente o vírus precisa criar outra forma de conquistar seu hospedeiro. Logo, isso faz com que os dois, a todo instante, sofra processos evolutivos, mantendo ampla constância na aptidão relativa.

Bom, aí você pensa: se não existisse vírus, os hospedeiros não precisariam de adaptações, certo? Errado. Há outro fenômeno chamado “kill the winner” que consiste em regular as populações de predadores e presas. Isso ocorre porque, ao ter um índice muito grande de predadores (por ter um ambiente mais adaptável), eles ficam mais suscetíveis a serem infectados. Isso acarreta na morte de muitos predadores e, assim, a biota é regulada novamente.  O nome “kill the winner” (mate o vencedor) se dá justamente por isso: o ser que estiver mais adaptado ao ambiente começa a se proliferar mais, fica mais “visível” ao vírus e, assim, o vírus mata, diminuindo sua população.

Resumindo: os vírus são exímios controladores populações; impedem que uma devida espécie superpopule alguma biota e que acabe por completo com suas presas. Assim, predadores sempre terão sua comida, uma vez que uma superpopulação acabaria por completo com suas presas.

Referências:

Fuhrman, J.A. (1999) Marine viruses and their biogeochemical and ecological effects

Suttle, C.A. (2005) Viruses in the sea

Van Valen, L. (1973) A new evolutionary law

Wild Walk

Em 4 de Julho, uma nova experiência ao ar livre estará disponível ao público quando Wild Walk abre.

O sistema de trilha experimental construído a partir de pontes é situado a cerca de 40 pés (12 metros) acima do solo e está ancorada na copa das árvores da floresta Adirondack em Upstate New York. Tem como objetivo oferecer aos visitantes uma perspectiva completamente nova da natureza – do ponto de vista dos animais.

O conceito é projetado em torno da ideia de que, enquanto você anda a pista, existem inúmeras oportunidades para contemplar e encontrar um mundo novo.

A experiência selvagem Caminhada inclui uma casa-galho de quatro andares e pontes balançando, uma teia de aranha onde as pessoas podem sair e chances para sentar e observar a floresta abaixo. Há também um ninho de águia em tamanho real no ponto mais alto onde os hóspedes podem pousar.