A carne é essencial à vida? – Humans need meat?

Você provavelmente já notou essa onda do vegetarianismo que está cada vez mais crescente no Brasil. Não só aqui como no mundo inteiro. Os diálogos sobre o consumo de carne e o tratamento dos animais nos abatedouros estão em ascensão.

Afinal, parar de comer carne faz mal? Faz bem? É recomendável?

Pra evitar passar informações falsas ditas por veganos, anti-veganos ou por sites de vegetarianismo/veganismo, eu estou me baseando em artigos científicos sobre a saúde em função da dieta.

O Jornal Americano de Nutrição Clínica publicou, em 2003, uma análise baseada em seis pesquisas sobre saúde e longevidade de pessoas com base em sua dieta.  Clique aqui para ver o artigo.dieta-vegetariana

Quatro dos artigos analisaram dietas com um consumo muito baixo de carne e indicaram uma diminuição significativa no risco de morte. No quinto artigo esse risco passa a ser menos significativo. No sexto essa associação não é feita.

Em dois dos estudos que apontam um risco de morte muito menor para pessoas adeptas a este tipo de dieta também apontam que uma longa adesão (duas décadas ou mais) à essa alimentação contribui para uma significante diminuição do risco de morte e um significante aumento na expectativa de vida. A diminuição dos riscos de morte é por causa do menor risco doenças, como câncer, inflamações, ganho de peso em mulheres,  AVC, cancro e hipertensão arterial.

Algumas variações de longevidade dependem de muitas outras variáveis, mas a análise é geral e os resultados são confiáveis, podendo ter uma pequena margem de erro devido à variação na definição de vegetarianismo, erros de medição, distribuição de idades, outras variáveis da saúde dos voluntários, etc.

Mas… com esses dados pode-se dizer que a carne NÃO é essencial e a redução do consumo deste alimento gera um melhoramento na saúde, menos risco de morte e uma maior expectativa de vida.

Um artigo escrito por Nelson Pedro aponta vantagens e desvantagens na saúde acarretadas por uma alimentação vegetariana. Entre as desvantagens está a possibilidade de deficiência nutricional entre vegetarianos em fase de crescimento e um risco levemente maior de ter osteoporose, mas, por outro lado, é evidente a vantagem pela diminuição do risco de outras doenças, como mostra a tabela:

tabela

A alimentação desprovida de carne pode ter efeitos terapêuticos, mas deve-se tomar cuidado com as cargas nutricionais da alimentação.

Outras questões ligadas ao vegetarianismo e veganismo (como o tratamento dos animais em abatedouros e o impacto no meio ambiente devido à produção de carne) não foram citados neste post, mas podem ficar para outro dia. Enquanto isso a sua decisão sobre o que comer fica a seu critério, mas é importante que você tenha ciência dos fatos.

Anúncios

#5 wild pic – mosca escorpião

Esse curioso animal vem da ordem Mecoptera, mais especificamente da família Panorpidae. Esse formato de cauda excêntrico como as caudas venenosas de um escorpião são um tanto quanto assustador. Como se um escorpião tivera evoluído e criado asas.

Felizmente o mundo não é tão cruel a esse ponto, o animal em questão não passa de uma inofensiva mosca, e sua terrível cauda não é nada mais que um órgão genitor masculino.

#4 wild pic – cabras montanhosas

Cabras montanhosas são exímias escaladoras de montanhas. Para nós, seres humanos, pode até parecer perigoso e arriscado, mas suas patas são adaptadas para conseguir se sustentar. Esse estilo de vida tem sido bem sucedido, pois nenhum predador em potencial se arrisca a essa façanha, e conseguem achar comida nos lugares mais inaccessíveis.

Os principais caprinos especialistas em alpinismo são a cabra-da-montanha (Oreamnos americanus) e o íbex-alpino (Capra ibex).

 

Atualmente, a seleção natural afeta o ser humano?

Para exemplificar, imagine um ambiente inóspito onde existem guerras de duas espécies de animais lutando por um território onde há alimento em abundância. E uma espécie deseja eliminar a outra para, assim, usufruir de toda fauna. Em determinado momento, uma espécie extingue a outra, denominando-a como espécie vencedora e a mais propícia ao ambiente. Logo, houve uma seleção natural onde o mais forte predominou. Já o ser humano, atualmente, não precisa lutar por território ou por comida,  criamos  comodidades que nos permitem ficar a salvos de predadores mais suscetíveis a um ambiente hostil.

Nosso pensamento cognitivo fez com que evoluíssemos e pudéssemos conquistar o meio em que vivemos. Com tal pensamento, pudemos avançar em estudos tecnológicos visando o nosso bem estar e a nossa sobrevivência, diferentemente de todos os outros animais que vivem apenas com seus extintos  e seu meio adaptado ao ambiente em que vivem. Mas nem de longe isso nos torna superior a eles. Se vivêssemos na selva apenas com nossos extintos, como qualquer outro animal, posso arriscar afirmar que não existiria raça humana, uma vez que dependemos integralmente de nossas ferramentas para nos auxiliar.

Mesmo com o avanço da medicina e do “conforto” humano, pessoas ainda  morrem de condições adversas, como fome, frio e doenças. Assim eliminando os menos adaptáveis ao mundo em que vivemos.

O homem é assim o resultado de proveitos da fragilidade e da série de conhecimentos adquiridos e guardados que são passados de geração pra geração. A inteligência fez a diferença, mas ainda não o exclui indiretamente da seleção natural.

 

#3 wild pic – Leopardo-das-Neves

Felino em extinção que habita as grandes altitudes da Ásia central, como Tibete, Nepal, Índia, Paquistão, Himalaia e o monte Everest. Sua pelagem é uma das mais bonitas entres os felinos, e é útil para se camuflar na neve e caçar suas presas com mais facilidade.

Na natureza, não existem mais do que seis mil leopardos-das-neves, porque seus ossos, peles e alguns órgaos são usados na medicina asiática. e raramente são vistos

leopardo das neves.png

QUE BIEN RESPIRA MI FRUTA!!!

La ciencia detrás de las frutas

Una de las primeras cosas que me chocó cuando empecé a introducirme en el mundo de la fruta fue esta afirmación: “Las frutas respiran igual que nosotros”. Y la verdad es que la he escuchado muchas veces a lo largo de mi vida investigadora… ¿a qué se referían con esas afirmación?

1 Respiran las frutas?(1)

Pues es muy sencillo. Las frutas son un organismo vivo que al igual que los humanos, necesita oxígeno para vivir, y por lo tanto, al igual que nosotros, genera dióxido de carbono.

Bueno esto está muy bien y es un concepto muy sencillo de entender cuando están en el árbol pero… ¿Siguen respirando una vez se recolectan? ¿Respiran más o menos? ¿Se puede evitar que respiren? ¿Respiran todas igual? Ahí van algunas claves al respecto.

Las frutas respiran en el árbol y siguen respirando una vez se recolectan. Son un ser vivo…

Ver o post original 644 mais palavras

#2 wild pic – raposa do ártico

A Raposa do Ártico  apresenta a mais fantástica integração com o meio hostil, onde vive em temperaturas que chegam aos -50º C. Sente-se completamente à vontade e adaptada tanto no verão quanto no inverno e consegue criar os filhotes que, aliás, não são poucos com um sentido de família altamente desenvolvido.

Seu segredo de sobrevivência é que durante o verão há maior quantidade de alimentos, e a raposa armazena comida em seus esconderijos para ter seu alimento garantido no inverno. Além disso, seu estômago digere qualquer presa, e está apta a enfrentar longos períodos sem comer sem problemas.

No verão, sua pelagem fica acinzentada ou acastanhada, o que lhe permite ficar invisível entre as rochas. E no início do inverno sua pelagem muda de cor. A ponta de sua cauda começa a ficar branca, e isso vai se estendendo por todo seu corpo, que no caso é uma ótima camuflagem.